terça-feira, agosto 06, 2013

POEMA...

Tua calma inunda minha turbulência
Inflama os sentidos e transborda violência
Contida sob o manto de uma falsa paz.

Tua alma se abandona em minha selva
Deita em cacos de vidro e se derrama na relva
Me socorre.

Teus apelos, estou atenta
Teus gritos aflitos, estou alerta
Tua energia, estou desperta.
Desfaleço na tua falta e me enveredo em trilhas sem destino.
Num tênue horizonte com fronteiras rígidas.

Não me falte, não se afaste
Me traga sorte
E um sol bem forte.
Não me estrague.
Me presenteie com um passado alegre.
Porque futuro é o que passo agora.

Oro pela calma eterna
Que a alma seja terna
Que o sol nunca se apague
E que a terra cumpra sua rota cósmica
Sem turbulências, sem calor nem frio extremo
De sorte que a morte seja lenta e bela.




Raimunda Monteiro 
Jornalista, Pesquisadora, Professora Dra  - Ufopa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...