domingo, janeiro 12, 2014

RUÍDOS DO SILÊNCIO...


Era você. Sua presença concreta  diante do olhar surpreso, ainda náufrago entre doces quimeras . Quisera fosse miragem, mas era verdade. Era você. Era sua imagem. Não era miragem,  fantasia, nem tampouco criação  da  fértil   imaginação. Era você, real, imagem concreta e feliz da  sua mais real expressão , fazendo saltar  dos olhos reflexos de um coração marejado de lágrimas.



 O coração apertado  bateu forte, mas dessa vez, sem ritmo.  O olhar  ficou triste e a s lembranças boas deram lugar a uma compostura triste. Os passos sem direção caminhavam lentos numa luta estúpida. Tentativa de  provar o contrário, numa verdade  impossível de  se modificar.



 De repente,  o contraste,   sonho  se confronta com   realidade. Era você, de verdade, com gestos e expressões timbradas.Não era miragem. Nem imaginação.  O corpo tentava arrancar as marcas, apagar  palavras murmuradas  daquele amor imaginável.

O olhar perdido  procurava  arrimo. Passos sem destino na  procura de respostas,  que justificassem  o injustificável. O silêncio faz-se ruído em meio a essa tempestade...



Socorro Carvalho

Um comentário:

  1. Mais um belo texto que inspira-nos para a rte de bem "poetisar"!
    tudo de bom!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...