sábado, maio 23, 2015

SAUDADE...

Imóvel flor
Sob a carícia do vento leve.
Uma bruma de poesia.
Há leveza, suave rima,
A voz, o timbre...
Ecos de metáforas,
Sub tendidos na loucura da fantasia.
Devaneio.
Rimas nos versos.
Refrão nas cantigas.
Enquanto em cada pétala
Frágil melodia.
Nas distância,
A quimera de desalinha.
Enquanto  a estrofe
Traduz o sabor dos beijos...
A saudade se agasalha no peito.


Socorro Carvalho

Um comentário:

  1. Anônimo7:02 AM

    Olá, Help!!! Amei esse poema, como todos os outros, é encantador. Vou toma-lo emprestado e postar no meu blog, tá! srsrs
    Bjos!
    Rô...

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...