quinta-feira, julho 14, 2011

CLEMÂNCIA


Vem, toma a minha mão negra.
É pequena como a tua,
sensível como a amarela.

Vem, dá-me a tua mão,
que é tão pura quanto a minha,
frágil como a vermelha.

Vem, deixa-nos enlaçar num abraço afetuoso,
irmanando-nos como almas gêmeas que somos.


Vem, deixemo-nos seduzir pela magia da luz e do calor,
que desfaz barreiras e não possui limites.

Vem, envolvamo-nos com o toque do instante,
com a graça passageira do amor infinito.

Vem gozar comigo esse átimo do prazer perpétuo
e da alegria de nossa íntima união.


Esquece os teus temores de outrora.
Das noites sem lua e sem estrelas.
Da escuridão aterradora.
Do temor de perder a alvorada e o sol do outro dia.

Esquece as tuas dores, tua solidão,
teus instantes de amargura, de temor e de aflição.

Esquece a angústia que te causei,
a tempestade que te assolou,
o trovão e o raio inclementes.

Esquece a fome, o frio
e a tristeza das tardes sombrias.

Esquece o abandono, as doenças, a morte
e a tua profunda nostalgia.

Esquece e perdoa, que também já te perdoei.


Vamos construir o nosso amanhã com um lindo arco-iris.
As suas cores servirão de notas para as melodias
e as canções de nossos sambas.

Vamos replantar todas as árvores derrubadas,
todas as flores pisoteadas
e as sementes de todos os amores incultos.

Vamos deixar nossos corações bater uníssono no ritmo da vida, que se expande com seu eco interminável pelo cosmo.

Vamos erguer o nosso lar com paredes transparentes
e um lindo teto solar.

E nele vamos conviver com a vontade de nos amar como crianças.


Vem, toma a minha mão negra,
dou-te a minha branca.

Abraçemo-nos com a nossa mão rubra e amarela.
Olvidemos a dor do começo
e vamos morar na casa da nossa amizade.


Arno Rochol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...