sábado, dezembro 29, 2012

AS MÃOS E AS MÃOS


A polpa secreta
 Das tuas mãos
 Espero-a inteira
 Espero-a inteira
 Como frutos à beira
 Da fome de alguém
 Espero-a inteira
 Nesta fome que vem
 Só das tuas para as minhas mãos

Minhas mãos geladas
 Minhas mãos suadas
 Em rebentos de cada esforço
 Descarnadas mãos
 De que já riu a ferrugem das grades

Minhas mãos abertas para que creias
 Mãos suadas e novamente suadas
 Mãos capazes de enxertar veias

A polpa secreta
 Das tuas mãos
 Espero-a inteira inteira

Orlando da Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...