quinta-feira, janeiro 17, 2013

TZVETAN TODOROV - "LITERATURA NÃO É TEORIA, É PAIXÃO"


"Os livros acumulam a sabedoria que os povos de toda a Terra adquiriram ao longo dos séculos. É improvável que a minha vida individual, em tão poucos anos, possa ter tanta riqueza quanto a soma de vidas representada pelos livros. Não se trata de substituir a experiência pela literatura, mas multiplicar uma pela outra. Não lemos para nos tornar especialistas em teoria literária, mas para aprender mais sobre a existência humana. Quando lemos, nos tornamos antes de qualquer coisa especialistas em vida. Adquirimos uma riqueza que não está apenas no acesso às idéias, mas também no conhecimento do ser humano em toda a sua diversidade."


Tzvetan Todorov - Filósofo e linguista .

                                                                                                                                  Fonte: Bravo Online

2 comentários:

  1. De fato, Socohelp
    A cada livro que lemos acumulamos mais um valioso tesouro, que ninguém poderá levar de nós: sabedoria. Eu simplesmente amo ler, de tudo um pouco, desde um jibi a um clássico de literatura. Ainda falta completar minhas celebres leituras, com cem anos de solidão de Garcia Marquez... Enquanto não ganho o livro, ou compro, vou me saciando com outras leitura. A atual Mídia Radical...

    ResponderExcluir
  2. Minelli Costa11:54 AM

    Sempre achei que os livros guardavam histórias de pessoas e que lendo-os me trariam conhecimento e lazer!!
    Mas depois de ler essas palavras concordo que muito mais que isso os livros na verdade guardam vidas e dão sentido ao "ser" da existência humana!!
    Muito bom Socorro! =D

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...