VOU PASSANDO MEUS DIAS...



Ah! Tempos idos quando perambulava com meu pai...
Andávamos livres e leves pelas trilhas de areia e barro
Ao encontro das águas frias dos matagais...
Um igarapé na sombra da mata!
No que pensávamos? Violência? Cobiça? Planos colossais?
Certamente falávamos dos mistérios e da beleza
Da natureza...
Ocupávamo-nos em tratar dos peixes, fazer o fogo
E mergulhar, mergulhar até não querer mais...
Não nos preocupávamos com o dia de amanhã...
Papai, talvez, ruía alguma preocupação... Eu, não!
Vivia qual passarinho, quais criaturinhas de Deus...
Não poderia imaginar um mundo mais feliz que o meu!
Quisera que fosse assim para todo o sempre...
Mas não foi! Não é! E, talvez, nunca será...
As perversidades e as obrigações opressoras
Encurralam-nos e nos destroem pouco a pouco...
Abandonar tudo e sair ao léu para os campos e prados
É deixar para trás gente querida acuada...
Para amenizar, recorro às lembranças passadas
E vou passando meus dias...



Paulo Paixão

Poeta santareno, mas residindo na capital Belém.
 

Comentários

  1. Muito lindo Socorro,são momentos jamais esquecidos.
    bjs amiga
    Carmen Lúcia

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens mais visitadas deste blog

Frases picantes que homens gostam de ouvir na hora do sexo

UMA CARTA PARA MEU FILHO AMADO..

ENFIM... MEUS 18 ANOS DE IDADE!!!